PT EN

Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva

Área Temática
Desenvolvimento Sustentável e Coop. Internacional
Água e cidades
Água, energia e alimentação
Inovação
Localização
Sede em Beja. Área de influência do projeto: Alentejo
Beja
Áreas de Aplicação
Serviços de água
Recursos Hídricos
Agricultura
Indústria
Âmbito
Adm. Central
Estação elevatória - Rede secundária
Boca de rega - Rede secundária
Estação de filtragem - rede secundária
Reservatório intermédio
Reservatório e Estação Elevatória
Rede Primária
Rede Primária
Barragem de Pedrógão
Barragem de Alqueva
Barragem de Alqueva
MAPA GLOBAL

Entidade

Descrição

Alqueva é um projeto de fins múltiplos e gestão integrada da sua reserva estratégica de água.
O projeto está centrado na Barragem de Alqueva e mais 68 barragens, reservatórios e açudes, ligados por uma extensa rede de canais e condutas com perto de 2 000 km, e servindo uma área de regadio com 120 mil hectares e mais de 250 mil habitantes. Dele fazem parte 8 Centrais hidroelétricas com uma potencia instalada de 540 MW. A sua capacidade de armazenamento é de 4 150 milhões de metros cúbicos. 

 

Objectivos

  • Novas oportunidades de negócio
  • Dinamização do mercado de trabalho
  • Desenvolvimento do turismo
  • Produção de energia limpa
  • Garantia de água para a agricultura e industrias
  • Garantia de abastecimento público
  • Criação de uma reserva estratégica de água

Resultados

Segundo um estudo sobre os impactos do projeto, os 120 mil hectares beneficiados pelo Alqueva, quando se atingir a planeada adesão ao regadio de 80 a 85%, deverão gerar mais 7.500 postos de trabalho e aumentos de 340 milhões de euros no valor bruto e de 254 milhões de euros no valor acrescentado bruto da produção anual do setor agrícola na região.

Próximos Desafios

O próximo desafio será a expansão do atual perimetro de rega, de 120 mil hectares para 170 mil hectares até ao ano de 2020. Simultâneamente serão feitas aduções a mais barragens na região garantindo o reforço do abastecimento público e industrial a mais território, incluindo a ligação a Sines. As novas infraestruturas integram grandes centrais de produção fotovoltaica, minimizando a "pegada ecológica".